9.12.11

La Niña, queda de temperatura e chuvas no Sudeste brasileiro


La Niña é o nome dado para designar um fenômeno climático que ocorre em decorrência do resfriamento (em média 2°C ou 3°C) anormal das águas superficiais do oceano Pacífico, especialmente na parte centro-oriental. Esse fenômeno gera profundas mudanças na dinâmica da atmosfera, fator que interfere diretamente nas características climáticas do mundo.

No Brasil, a La Niña é percebida principalmente por causar: passagens rápidas de frentes frias sobre a região Sul, diminuição da temperatura na região Sudeste, chegada de frentes frias ao nordeste durante o inverno, aumento nos índices pluviométricos no leste e norte da Amazônia, entre outras interferências climáticas menos representativas.

A La Niña acontece em intervalos que oscilam entre 2 e 7 anos, com uma duração de aproximadamente um ano.

No ano de 1998, foi identificada pelos cientistas uma queda de 1,9°C na temperatura das águas superficiais do oceano Pacífico, decretando o final do fenômeno El Niño e ativamento da La Niña.

O último fenômeno La Nina (1999) provocou nos Estados Unidos um inverno extremante rigoroso, com temperaturas há muito não registradas. Tempestades de neve, avalanches foram algumas das consequências da La Niña na Europa, além de precipitação de neve em regiões que quase não ocorrem, como em Paris (França).

Recentemente, diversos estudos ligados a esse fenômeno climático constataram que não há uniformidade nas consequências provocadas pela La Niña, isto é, não se sabe se o regime das chuvas vai aumentar ou diminuir, por exemplo.

FENÔMENO LA NIÑA INTENSO INFLUENCIA VERÃO E OUTONO DE 2012:

Desde julho, a temperatura da água do Oceano Pacífico junto à Linha do Equador vem caindo. Entre agosto e setembro, o desvio chegou a -0,5°C (meio grau abaixo da média), porém os efeitos deste fenômeno começaram a ser percebidos apenas em meados da primavera.

No momento (registro feito em 23 de novembro), a temperatura está -1°C abaixo do normal, com tendência de declínio até o trimestre dezembro-janeiro-fevereiro.

Estima-se que entre o fim da primavera e início do verão, o desvio varie entre -1°C e -1,5°C, sendo muito semelhante ao último, ocorrido na primavera verão 10-11. Depois disso, algumas simulações indicam elevação da temperatura e posterior novo declínio ao longo do ano de 2012.

Entretanto, ainda não é possível confirmar esta tendência, já que estas simulações mostram-se pouco confiáveis depois do momento em que se alcança o ápice do frio. Ou seja, é possível afirmarmos que o fenômeno La Niña influenciará o clima do Brasil até pelo menos o outono de 2012 (já que os efeitos na atmosfera são mais retardados), porém ainda não é possível afirmar muita coisa sobre o que acontecerá a partir do meio do próximo ano.

Fonte: SOMAR Meteorologia

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...