2.5.11

A morte de Osama ( Um heroi Norte Americano)

Segue abaixo uma reportagem da BBC Brasil sobre a morte de Osama Bin Laden.

Antes de mais nada é bom lembrar que a Al-Qaeda não é o Osama e com certeza novos atentados e conflitos surgirão.

Morreu aquele que fez com que Bush fosse reeleito e que fez um pronunciamento antes das eleições que o elegeram ameaçando os EUA, assim o povo norte americano elegeu na época um candidato que declarou "Guerra ao terror".

Morreu aquele que era amigo dos EUA e que "mudou de lado" derrubando as torres gêmeas. É bom lembrar que existem evidências de que esse tal ato terrorista foi a maior farsa da história, porém isso não foi provado.

Depois do episódio das torres gêmeas o Iraque foi invadido e o Afeganistão, foi o passaporte para que os EUA buscassem seus objetivos geopolíticos naquelas regiões, no Iraque nenhuma arma de destruição em massa foi encontrada e o Afeganistão governado pelo Talebã deveria entregá-lo.

A maior potência mundial em termos bélicos e econômicos demorou 10 anos para achar este homem, um simples mortal que diziam viver escondido nas cavernas Afegãs, na verdade ele estava em uma mansão no Paquistão, pouco tempo após o atentado de 11 de setembro uma missão que o capituraria foi abortada segunda narraram alguns soldados norte americanos na época. Tudo coincidência.

Alguns acreditam que foi coincidência ele ser morto logo agora, um momento em que a população norte americana diz não aos bilhões gastos e as vidas perdidas com frentes de guerra pelos EUA e a nacionalidade de Obama ter sido questionada, assim como foi coincidência Osama aparecer nas vésperas da reeleição do Bush ameaçando os EUA, enfim, acabar com uma frente de guerra e a "vitória sobre o terror" pode dar a vitória na reeleição a Obama.

Também existem aqueles que acreditam em Papai Noel.

O legado deste ícone norte americano continuará e levará Barack Obama a sua reeleição, é só esperar.

Troquem o S de Osama por B de Obama, os atentados, mortes e sangue serão ainda maiores por aquele que tem suas ações legitimadas pela "DEMO-cracia" ocidental.

Luciano Costa

Eis a reportagem:

_____________________________

O diretor da agência de inteligência americana, a CIA, Leon Panetta, disse que é "quase certo" que a rede extremista Al-Qaeda tente vingar a morte de Osama Bin Laden.

"Bin Laden está morto, mas a Al-Qaeda, não. Os terroristas quase certamente tentarão vingá-lo. E nós devemos - e iremos - continuar atentos e determinados", disse Panetta.

Mais cedo, militantes do Talebã e da Al-Qaeda no Paquistão disseram à BBC que a morte de Osama Bin Laden "não vai ficar sem resposta".

O porta-voz da principal facção paquistanesa do Talebã Ehsanullah Ehsan falou por telefone com a agência de notícias AFP.

"Se ele (Bin Laden) foi martirizado, nós vamos vingar sua morte e lançar ataques contra os governos americano e paquistanês e suas forças de segurança", disse ele.

"Essas pessoas são, na verdade, inimigos do Islã."

"Se ele (Bin Laden) se tornou um mártir, é uma grande vitória para nós, porque o martírio é o objetivo de todos nós", disse Ehsan.

Bin Laden se mudou para o Afeganistão em 1996, de onde passou a comandar a Al-Qaeda com o apoio do Talebã, que controlava o país.

Após os ataques de 11 de setembro de 2001, o governo americano ordenou que o Talebã entregasse Bin Laden ou entregasse o poder, o que resultou na invasão do Afeganistão por forças dos Estados Unidos.

Hamas

O movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza, condenou o que chamou de "assassinato" de Osama Bin Laden, apesar das relações ambivalentes entre o grupo e a Al-Qaeda.

O premiê do Hamas, Ismail Haniyah, chamou Bin Laden de "guerreiro árabe sagrado" e disse que o assassinato é a continuação de uma política americana baseada na opressão.

No passado, o Hamas tentou, por vezes, se distanciar de Bin Laden temendo que a Al-Qaeda estivesse se apoderando da causa palestina de forma prejudicial ao movimento.

Já Bin Laden criticou o Hamas por participar de eleições democráticas nos territórios palestinos em 2006.

Recentemente, o Hamas enfrentou oposição em Gaza de grupos inspirados pela Al-Qaeda que acham que o grupo se tornou moderado demais.

Marcando as diferenças entre as facções palestinas, o Fatah, que controla a Cisjordânia, disse que a morte de Bin Laden é positiva para a causa da paz no mundo.

Pronunciamento

AP

Obama anuncia a morte de Bin Laden na TV

A morte de Osama Bin Laden foi confirmada pelo presidente americano, Barack Obama, em um pronunciamento exibido ao vivo pela televisão às 23h35 de domingo em Washington (0h35 de segunda-feira no Brasil).

"Nesta noite, posso relatar ao povo americano e ao mundo que os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama Bin Laden, o líder da Al-Qaeda, e um terrorista que é responsável pelo assassinato de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes", disse o presidente americano.

"Justiça foi feita", acrescentou Obama, ao anunciar a morte de Bin Laden no discurso transmitido da Casa Branca.

Assessores de Obama que não foram identificados disseram à agência Associated Press que testes de DNA confirmaram com 99,9% de precisão que Bin Laden foi morto, mas não disseram quando ou como estes testes foram feitos.

O líder da Al-Qaeda era acusado de comandar dezenas de atentados, incluindo as explosões em duas embaixadas americanas no Leste da África em 1998 e os ataques de 11 de setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington.

Bin Laden ocupava o primeiro lugar na lista de criminosos mais procurados pelos Estados Unidos, e as forças americanas tentavam capturá-lo desde antes de 2001.

Morte de Bin Laden

Segundo autoridades dos Estados Unidos, Bin Laden foi morto com um tiro na cabeça após resistir à prisão, em uma operação conduzida por uma unidade de elite do Exército americano na cidade de Abbottabad, a 100 quilômetros de Islamabad, no Paquistão.

O líder da Al-Qaeda estava em uma mansão cercada por muros de até seis metros de altura, que era oito vezes maior que outras casas na região e foi avaliada em "vários milhões de dólares", apesar de não ter telefone ou conexão de internet. A operação teria durado cerca de 40 minutos.

A mídia nos Estados Unidos noticiou que o corpo foi "enterrado no mar" para evitar que o túmulo de Osama Bin Laden fosse tratado como um local sagrado. Isso teria sido feito em menos de 24 horas depois da morte em respeito à prática islâmica.

O feito foi descrito pelo presidente Obama como "a conquista mais significativa até hoje nos esforços de nossa nação para derrotar a Al Qaeda".

A notícia foi recebida com festa por uma multidão reunida do lado de fora da Casa Branca, em Washington.

Detalhes

Segundo Obama, a operação que matou Bin Laden não deixou nenhum americano ferido.

Autoridades americanas dizem que três outros homens teriam sido mortos no ataque - um dos filhos de Bin Laden e dois de seus mensageiros. Uma mulher também teria sido morta após ser usada como "escudo" e outras duas mulheres teriam ficado feridas.

Ainda de acordo com as autoridades dos Estados Unidos, um helicóptero usado na operação sofreu "problemas técnicos" e foi, depois, destruído e abandonado. A equipe deixou o local em um segundo helicóptero.

Um morador da região, Nasir Khan, disse à agência Reuters que os helicópteros foram alvo de "fogo pesado" vindo de atiradores que estavam em terra.

O tamanho e a sofisticação do complexo residencial "chocou" as autoridades americanas.

A mansão fica a menos de 1 km da Academia Militar do Paquistão, a principal base militar do país.

Um comentário:

Anônimo disse...

e o corpo que é bom não aparece. acho q se trata de um acordo entre a Al-qaeda e o governo norte americano, se não houverem atentados isso ficará claro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...