2.4.10

"Obras" eleitoreiras - Aécio em JF.

Todos que acompanham os noticiários já devem ter notado a enorme quantidade de inauguração e lançamento de obras pelo Brasil.

Lula com a pré candidata à presidência Dilma viajam por todo o Brasil inaugurando obras e mesmo sem ter um balanço e concluir o PAC I já anuncia o PAC II. O principal adversário Serra não fica para trás e inaugura diversas obras em SP.

Em Minas o governador Aécio Neves que por anos deixou a Zona da Mata no esquecimento com perda de várias empresas para o Estado do RJ por falta de uma política de incentivos fiscais ou até mesmo de redução dos mesmos visto que o Estado de MG tem um dos maiores impostos do Brasil, além do esquecimento da educação, onde os professores e outros servidores públicos ficaram por vários anos sem reajuste real e sofreram uma grande perda do poder aquisitivo, sem falar nas péssimas condições dos órgãos públicos agora veio à JF anunciar uma série de "investimentos".

Ora, coincidentemente às vésperas do governador deixar o governo para lançar sua candidatura ao senado federal anuncia em meio ao protesto do magistério e outros servidores estaduais "o maior investimento da história de JF", além de ter anunciado um aumento para os servidores, o que não chega nem perto das perdas salariais dos últimos anos.

As obras são construção do "hospital da zona norte" que na verdade fica na região central da cidade, reformas no sistema viário, a abertura de uma siderúrgica e outra indústria, além da ampliação da produção da Mercedes Benz.

Ora, se os mais de R$100 milhões fossem investidos em serviços sociais básicos acabaríamos com os problemas de muitas famílias que vivem sem educação, sem saúde, sem alimentação, sem nutrição, sem perspectiva de vida, enfim, os sem-sem de nossa sociedade.

Muitos perguntam por que o governo não investe então nestas áreas que são as mais necessárias, ora, a resposta é simples, elas não geram voto, não reelegem e nem ajudam a eleger apadrinhados, isto porque o povo precisa ver "o canteiro de obras" na cidade para dizer que um governo está "fazendo" enquanto na dispensa de suas casas não ha o que comer.

No caso de JF, Aécio quer os votos da região para ser senador e CUstódio quer eleger seu filho como deputado.

As grandes obras também favorecem as elites, construtoras, donos de empresas, fornecedores de materiais que são quem financia as campanhas milionárias destes candidatos.

O que uma escola bem estruturada, uma unidade básica de saúde ou a assistência a famílias em estado de vulnerabilidade poode trazer de benefícios para estes mercenários?

Os anseios da maioria da população é então ignorada nesta falsa democracia que vivemos e as elites são favorecidas constantemente desde o "descobrimento" do Brasil.

Nossos representantes eleitos pelo dinheiro pelas falsas eleições brasileiras então lutam pelos seus prprios interesses e de seus financiadores a fim de que a ordem social da exclusão permaneça.

Que possamos distinguir nestas eleições quem faz obras (que favorece toda a sociedade) e quem faz "obras" (que favorece a si e as elites) quem pensa em seu futuro político e quem pensa no futuro do Brasil, Minas e JF.

Luciano Costa

Um comentário:

Raissa Izola Duarte disse...

Além do problema do Hospital da Zona Norte ser no Centro, não é estranho um hospital que deveria ser um liugar de tranquilidade para as pessoas se recuperarem estar sendo feito num local de extrema poluição sonora devido ao intenso trânsito e passagem de trens?

Definitivamente o hospital está em lugar estratégico,todos que chegam a cidade e uma grande massa de moradores da Zona Norte vão ver a movimentação das obras enquanto passam espremidos em transporte público indo para mais um dia de batalha.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...