17.9.09

Hábitos arraigados: A mentira é uma verdade.

Todos os dias proferimos várias mentiras na busca de dizer "as palavras certas" para aqueles que nos rodeiam. No convívio social as pessoas buscam dizer a verdade de forma reduzida já que isto facilita as suas vidas.

Podemos dizer que a mentira na sociedade atual é um hábito arraigado e nossas crianças já crescem com ele e aprendem muitas artimanhas.

Algumas pessoas costumam chamar esta forma elaborada de comunicação de "mentiras brancas".

A mentira é algo tão arraigado em nossa sociedade que as pessoas costumam rotular de "ingênuas" aquelas que dizem apenas verdades.

Calcula-se que uma mentira vem aos nossos lábios cerca de 200 vezes por dia, em média uma a cada 5 minutos. Começando por falsos elogios ("Você está com excelente aparência!") até mentiras descaradas ("Hoje eu não posso ir trabalhar, estou gripado").

Nos últimos tempos ocupam-se com o mistério da mentira não apenas filósofos, mas também cientistas políticos e psicólogos.

O resultado das pesquisas sobre a mentira:

– Mentira e engano estão nos nossos genes, foram e são o motor da evolução. Os biólogos presumem que o desenvolvimento do cérebro humano só foi possível por ter que lidar com enganos.

– Nós adulamos, engodamos e sorrimos diariamente com olhar inocente para manter uma boa atmosfera ou para nos apresentar numa luz mais favorável. Principalmente os cônjuges e familiares são enganados de maneira intensa. Eles são vítimas de dois terços de todas as mentiras graves.

– Talento para enganar é sinal de inteligência – um fator de sucesso, tão útil como perspicácia, intuição ou criatividade. "O sucesso profissional de um executivo depende em 80% da sua inteligência social".

O objetivo da educação diplomática: as crianças já aprendem desde cedo que é melhor não dizer à sua antipática tia que acham o beijo lambuzado dela nojento. A alegria dissimulada da mãe ao receber o presente de Natal inútil, os doces escondidos furtivamente e a lei do silêncio sobre inconvenientes familiares são modelos e treinamento para as mentiras diárias no futuro.

Entretanto, as crianças só compreendem a necessidade de mentir entre o segundo e quarto ano de vida, e isso ocorre tanto mais cedo quanto mais inteligentes elas forem. Até então elas não sabem distinguir entre fantasia e realidade. Quando descobrem, então, quão refinadamente é possível lograr os outros, elas o fazem primeiramente em proveito próprio – a fim de evitar castigos ou para receber alguma recompensa. Mais ou menos a partir dos oito anos de idade elas aprendem a diferenciar a simpatia verdadeira da falsa.

Durante a adolescência os jovens aprendem a distinguir com certa precisão se alguém está sendo sincero ou não.

Há pesquisas e estudos sobre a mentira, tenta-se explicá-la, procura-se a sua origem, mas em geral ela é considerada inofensiva, sim, até mesmo uma necessidade da vida e, em última análise, como algo bom.

Na verdade as coisas não funcionam bem assim e a mentira pode causar danos desastrosos tanto para aqueles que mentem como para aqueles que são enganados.

A pior sensação em uma casa, trabalho ou qualquer outro lugar de convívio social é a desconfiança, quem muito mente está submetido a isto, o rótulo recebido é terrível.

Uma mentira pode acabar com relacionamentos, pode ocasionar mortes, brigas e outras coisas mais.

"Deixar a mentira e falar a verdade" é algo que deve ser tratado diariamente, um exame de consciência constante daqueles que nunca atingirão perfeição, mas que sem dúvida podem buscar se conhecer melhor, aceitar suas fraquezas e defeitos e matar um leão por dia.

Pensar em todas as patologias sociais e psicológicas da mentira é um passo adiante no tratamento desta doença.

Instruir e repreender as crianças também deve ser um ato constante. Devemos evitar aplaudir ou achar engraçado as "mentiras brancas" já que no futuro podem se tornar graves patologias físicas, sociais, psiquicas e da alma.

Criar um mundo paralelo, o de mentiras, é um mecanismo de fuga da realidade e ao se colocar as pés no chão da verdade tudo pode estar perdido.

Caminho, verdade e vida se constitui antônimo de mentira.

Que possamos trilhar no caminho da verdade, ainda sendo a mentira coisa dos homens não esquecendo do necessário auto exame diário.

Luciano Costa

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...