30.3.13

Por que buscais o vivente entre os mortos? - Texto escrito em 2007.

Lucas 24 v. 5 - "E estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhe disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?"

Entendendo que muito se fala acerca da vida de Cristo, desde o seu nascimento até a sua morte através de filmes, histórias, etc... mas que muito pouca ênfase tem se dado ao Cristo ressurreto e as consequências em nosso viver.

O texto citado relata o momento em que as mulheres foram ao túmulo de Cristo, porém, os varões à porta as fazem a pergunta que é o título desta postagem, uma grande surpresa e algo espetacular na vida daqueles que creem.

O texto mencionado tem uma relação muito íntima com o contexto de muitas pessoas em nossos dias, onde muitos ainda tem procurado o que vive entre os mortos. Nesta data em que relembramos o sacrifício de Cristo por nós muitos ainda encaram esse fato como sendo um velório, pessoas chorando, tristes pelos cantos e lamentando o Cristo pendurado no madeiro nas ilustrações em templos religiosos.

Procurar Cristo entre os mortos é ouvir à todo momento o coração ardendo, porem, não abrindo suas portas a fim de que aquele que traz a paz e a vida entre. A incredulidade naquilo que é fato narrado nos escritos sobre o evangelho traz consigo um existir infeliz e sem esperanças pois se Cristo não ressuscitou é vã a pregação da fé, e se nossa vida se restringe à esse plano de existência corremos o risco de não suportar o absurdo dessa existência caminhando como embriagados sem esperança num existir sem sentido.

As mulheres ao ouvirem a grande notícia da ressurreição se maravilharam, lembrando do que Cristo ja havia dito, explodiram em felicidade, aliás, é muito linda esta características de sensibilidade das mulheres, sua fé e esperança por isso percebemos todos os diálogos entre Cristo e as mulheres na bíblia acontecerem de forma totalmente harmônica, o que muitas vezes não ocorre com relação aos homens que são muitas vezes duros de coração e dificilmente creem. 

Ao voltarem e anunciarem estas coisas aos apóstolos e todos os seguidores que estavam alojados desesperançosos, porém não creram , para eles Jesus ainda estava entre os mortos.

Como relata a bíblia, alguns Judeus pagaram muito bem para os guardas que vigiavam o túmulo para que inventassem uma história dizendo que os discípulos de Cristo roubaram o corpo à noite, e tentarem ludibriar as pessoas a fim de manterem um paradigma religioso, a verdade não era tão importante quanto a manutenção de uma tradição histórica, hoje pelos templos religiosos muitos inventam histórias e fazem inúmeras promessas a fim de manterem uma tradição viva, a fim de manterem uma tradição religiosa, desta forma, uma vida se torna nada pois as coisas adquirem um valor muito maior, desta forma as pessoas servem as coisas e não são servidas pelas coisas.

Muitas vezes o dualismo nos discursos tem tornado os religiosos de hoje escondedores da verdade, onde os valores oriundos da moral são superiores à verdade do evangelho e a Cruz começa à peder o seu significado para a vida, sendo apenas uma história para os ouvintes, porém, acreditamos na radicalidade de Cristo e do evangelho, ou cremos que a cruz valeu tudo, ou é vã qualquer pregação para a vida.

Cristo aparece à dois peregrinos no caminho de Emaús, também narrado em Lucas de forma que eles não percebessem que ele estava com eles, pelo caminho falavam da desilusão em crer num rei que foi cruscificado e morreu, alguém que caminhou entre a camada excluída da sociedade, não teve relação nenhuma com lideranças políticas da época, eles se sentiam diante disso sem fé, porém Cristo ainda sem se deixar identificar abre as escrituras e fala sobre tudo o que estava escrito desde o velho testamento acerca de sua ressurreição e morte, ao se alojar no abrigo dos peregrinos Cristo se deixa reconhecer no partir do pão, depois disto os peregrinos se lembram de como os seus corações ardiam enquanto Cristo falava acerca das escrituras, quantos leem ou ouvem, seus corações ardem mas mesmo assim não creem? quantos não abrem o coração para o que é evidente, estando Cristo caminhando ao nosso lado o tempo todo porém não o percebemos e não abrimos o nosso coração para a verdade?

Depois disso ao aparecer aos 12, eles se assustaram e acharam que era um espírito, mesmo depois de tudo o que haviam ouvido por intermédio das mulheres, eles apalparam os pés e as mãos de Cristo e alguns ainda não haviam crido, Cristo então come pães e peixes dizendo que um espírito não come para que cressem.

Depois disto ainda abriu as escrituras novamente a fim de falar tudo aquilo que ja havia lhes ensinado antes da crucificação sobre a morte e a ressurreição, estando alguns ainda atemorizados com o que acontecera.

Após estas coisas Cristo ascende aos céus, nos prometendo enviar o consolador (Espírito Santo), e lhes dá a missão de pregar o evangelho à todas as pessoas e os discípulos voltam para Jerusalém em grande júbilo.

Agora eu pergunto, qual seria a motivação dos discípulos em pregar o evangelho á toda criatura se a ressurreição fosse uma balela? Será que os mártires do passado entregariam a sua própria vida pela causa do evangelho se não tivessem presenciado estas coisas narradas nos 4 livros sinóticos? A resposta é óbvia e agora vocês entendem porque a pregação da fé seria vã sem a ressurreição.

Ora, uma frase que muito se repetiu é "Não creram" e isso se repete dia após dia, agora porque é tão difícil o homem crer naquele que tem batido em seu coração dia após dia e que faz com que o nosso coração esteja aquecido ao ouvir a mensagem das boas novas do evangelho? Por que muitos se entregam á fábulas e não creem naquilo que é apresentado como óbvio e como verdade? Será que muitos estão esperando ele aparecer de repente como um fantasma e mostrar novamente as feridas conforme o testemunho dos antepassados? Ora, pelo que entendo, isso não vai acontecer!

Tudo pode se tornar uma fábula quando não se prega o que é essencial, diga-se a mensagem da cruz e do evangelho que não é outro senão o genuíno evangelho da graça, assim, "um outro evangelho" o das fábulas é facilmente absorvido pelas pessoas pois o óbvio é óbvio demais para crer, é tão simples, tão simples que é melhor criar os contos, por isso percebemos esta criação histórica de milhares de religiões e instituições religiosas mostrando um deus caricaturado de acordo com a ideologia de uma determinada religião.

Ora, o povo se perde por falta de conhecimento! Cristo é a vida e deseja habitar em nosso existir como salvação para todo aquele que crê, de verdade!

E assim, ainda que morramos, vivemos, sabendo que a vida habita em nós e que não se restringe à esse planeta, possibilitando viver a paz e a alegria das boas novas ainda nesta existência.

Mas para isto uma coisa muito simples e complicada aos humanos é necessária: Crer que na cruz tudo foi consumado e que isso valeu de verdade, muitos narram estas coisas, porém não aplicam os benefícios na existência, sendo salvos e perdoados todos os nossos pecados, não viver estas coisas é viver um grande engano existencial.

Crendo nestas coisas verdadeiramente somos livres para a liberdade na paz que excede todo o entendimento, vivendo sempre pela fé, não em justiça própria, mas naquela oriunda da cruz, sem embaraço algum, culpa, medo, barganha etc...

Na carta de Paulo aos Efésios 6:14 em diante onde Paulo fala acerca da armadura de Deus, sobre fé, justiça, oração, verdade, etc... que não vou descrever aqui para evitar delongas.

Depois destas coisas celebramos ao Cordeiro imolado antes de haver qualquer antes por nós sabedores de que somos parte de um mesmo corpo em Cristo, onde não ha melhor e nem pior, nem pequeno e nem grande, nem pobre e nem rico pois Ele se entregou por mim, por você e por todos sem fazer acepção de pessoas.

Comemos e bebemos o lanche gostoso da minha mãe Sebastiana, celebrando ao pão vivo que desceu do céu.

Realmente um domingo maravilhoso!

Em Cristo, que torna todos os dias da existência belos,

Luciano Costa

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...