5.4.09

Discipulos do Amor ou do Nada?


A palavra discipulo vem de disciplina.

O discipulo vive aprendendo a ter disciplina e a caminhar, sabedor de que a maior sabedoria é saber que nada sabe.

Um paradoxo que nos faz caminhar de verdade, não em um caminho de ilusão, mas com os pés no chão.

Ser um discipulo descompromissado com as questões sociais, ambientais, políticas e tudo o que diz respeito ao seu semelhante é ser discipulo do nada.

Ser discipulo do Amor é muito mais do que descansar e esperar, é agir enquanto se caminha.

O discipulo do Amor é ativo e busca um mundo melhor, assim como é o Amor, afinal, se o amor não for isto para que se aproveita?

Ora, a vida e o evangelho não se resumem em meras palavras, afinal, uma fé morta de nada serve para o Amor.

O discipulo do Amor sabe que da mesma forma que recebe a semente no coração, deve também semear e ser um agente da Graça em todos os sentidos e não apenas na falácia.

O discipulo do Amor não espera nada em troca, trabalha com amor na certeza de que melhor é dar do que receber, isto é amor!

O discípulo do Amor não faz barganhas, mas também não é um ser engessado, a expressão do amor invisível se faz no mundo visível e a grande luz se manifesta no malígno.

O discípudo do Nada tem onde encostar a cabeça e é o rei das desculpas, não é um ser ativo, mas que descansa sempre.

O grande desafio do discipulo do Amor é ser as duas coisas ao mesmo tempo, ja que fé no que está consumado e a expressão visível do amor não se dissociam.

O que é feito de boa vontade e com o coração cheio de amor não é corroido pelas traças.

Como falar do Amor para alguém que sofre no mundo malígno?

Sejamos agentes do Amor já que o amor se expressa também com ação e não com alienação!

Eu te pergunto, onde está seu coração? No Amor ou na cama e no colchão?

Os discipulos do Nada são os mais amargurados desta Terra, ja que sua vida não tem um sentido, o sentido do Caminho, diferentemente dos discipulos do Amor que buscar a plenitude da vida no Caminho.

Ora, ser discípulo do Amor é expressar o amor, sem ansiedades, mas com o coração cheio de amor, esperança. Vontade de servir e agir é uma forma de expressão do amor.

O discipulo do Amor descansa, porém, caminha no mesmo já que uma coisa só é importante e você sabe qual é? É expressar o amor, não em coisas fúteis, mas naquilo que srve ao semelhante.

A disciplina do discípulo do Amor não é outra coisa, a não ser falar, viver, pensar, questionar, ensinar, ajudar, cair, levantar, errar, acertar, chorar, rir, morrer, viver... enquanto caminha em amor nesta existência crendo que o futuro é uma incógnita, porém, está nas mãos do Amor.

O discípulo do Nada quer segurança, quer um chão, quer esperar que as coisas caiam do ceu, esquecendo-se que é um agente do amor na sociedade e que tem um papel importante, o de semear amor, mas prefere estar parado, engessado, portanto, não caminha.

Ora, é caminhando que se faz o caminho, e sem caminhar não existe discipulado, este vai muito além de meros estudos e literaturas induzidas, mas em vida, em relacionamento, em ação.

É na existência que o discipulo aprende dia após dia e sabe que o Amor se expressa nos relacionamento e não de meros estudos e informações de um livro!

Quem é o seu mestre, o Amor ou o Nada?

Se a resposta é o Amor, então haja como o próprio, caminhe com o coração aquecido de amor e tire o gesso de sua vida, somente assim você será um canal de expressão da Graça, o Amor maior que foi expressado por nós na cruz onde tudo está consumado!

Por último, o discipulo é um imitador, e se somos discípulos do Amor caminhamos pelos lugares mais obscuros para a sociedade levando uma palavra de amor e multiplicando os pães e peixes, transformando água em vinho se preciso for, salvando e curando no sábado e coisas que expressam o Amor já que este não foi expresso exclusivamente na cruz, mas em todas as ações sociais do Amor em lugares onde está quem precisa de remédio, em diversos campos da vida e preferimos estar entre os "glutões, bebedores de vinho, publicanos, pecadores de todos os gêneros" seres excluídos pelo sistema-mundo da religião, o clube de "iluminados" fariseus dos quais eu não tenho tempo a desperdiçar já que estão perdidos em suas próprias presunções e não percebem que de igual forma precisam do remédio que vem do Amor!

Assim também, me preocupo com tudo através do qual posso expressar o amor e não me isolo em um único conhecimento ou em minhas próprias presunções, a vida é um todo!

Se é para ser discipulo, prefiro ser do Amor de fato e não me auto-enganar fazendo médias e esquecendo de tudo o que é importante na vida (O que é feito com amor).


Discipulos de livro e falácia são do Nada, de atitudes são do Amor!

No Amor e sem máscaras, visto que é através delas que os túmulos caiados se escondem,

Luciano Costa

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...