3.9.11

As cavernas nossas de cada dia

Hoje, ao assistir um filme me lembrei deste texto escrito por mim. É impressionante como o ser humano se adapta facilmente a certos sistenas e ainda que esteja na lama aparenta estar ótimo, preso na caverna que a sociedade moderna o trancou em um sistema em que somos uma peça, trabalhadores e consumidores, a cada dia mais escravos do sistema perverso que nos coisifica e menos cidadãos.

Para quem acredita e ousa mudar o melhor está por vir, se temos tudo e aprendemos tudo, de que importa a vida?

Eis o texto:


Pensar faz bem para o ser!
Esta semana estava refletindo sobre a vida, sobre fatos passados e no progresso que tive nestes anos, onde, hoje tenho o privilégio de estar à margem da grande massa manipulada e poder estar em constante construção como pessoa e nos pensamentos.
Digo progresso porque é um grande regresso quando o homem deixa de pensar, perde a visão do todo da vida e passa a enxergá-la apenas por um ângulo, assim, com uma cosmovisão limitada também se torna um ser limitado e não prova a plenitude da vida , assim, a limitação traz a morte da identidade do ser e consequente morte da consciência individual.
Assim, cria-se uma fôrma, onde não pode se mover nem para a direita , nem para esquerda e nem para lugar nenhum, porque os paradigmas tomaram conta do ser, assim, o vento não sopra, fica preso em um certo espaço e murcha assim como uma planta que é trancafiada em um lugar sem os componentes atmosféricos.
Aqueles que se acostumaram com o velho dificilmente dirão que o novo é melhor.
Lendo Mito da Caverna percebemos que é uma realidade vivida por nós a cada dia, pois as cavernas que vivemos nos transformam em seres limitados e que não enxergam. Ou será que não queremos enxergar o novo? Ou o novo-velho, porque é novo apenas para quem está conhecendo e algo já velho para aqueles que já puderam provar, pois o novo é o que sempre foi, porém, foi camuflado pelo velho que nunca existiu e que é uma verdade-mentira que muito é pronunciada sendo tida como verdade pela visão limitada ou pelas visões que não querem enxergar o novo que é velho e que sempre foi.
Assim, todos aqueles que experimentam o novo que não é novo, pois nos primórdios sempre foi a realidade dificilmente vão ser ouvidos pelos "seres da caverna" que se acostumaram com a velha verdade-mentira, esses, provavelmente vão tentar fazê-los calar de uma forma ou de outra, o importante é continuar a crer nas verdades-mentiras.
Desta forma os seres da caverna estão em verdadeiros túmulos caiados, visto que tudo o que é institucionalizado destrói o ser por dentro e é um verdadeiro criatório de gente neurótica.
Enquanto estes não se vestirem de novas vestimentas e pararem de tentar remendar as vestes velhas, dificilmente vão viver uma revolução em suas vidas.
Meu desejo é que todos saiam das cavernas e que haja uma revolução em cada ser.

Luciano Costa

2 comentários:

Raissa disse...

Pra esse lance d comentar sou meio enrolada...será q vale falar d mim? Nunca fui criada em moldes, "formas". Toda instituição é como um pai limitador...q naum deixa livre os pensamentos, atos e questionamentos claro sempre com um objetivo d manter o poder.

Vando disse...

O mito da caverna tem tudo a ver com tais realidades. Infelizmente ele é mais verdadeiro do q gostaríamos q fosse,
Paz,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...